PLANO MUNICIPAL DE VACINAÇÃO

 CONTRA A COVID-19 DE SERRANO DO MARANHÃO – MA

Serrano do Maranhão

2021

  1. INTRODUÇÃO

Em março de 2020 a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia da Covid-19 causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), no entanto o governo brasileiro já havia declarado emergência sanitária em fevereiro do mesmo ano com a adoção medidas sanitárias como isolamento social, restrição de atividades, controle de entrada e saída do país entre outras ações.

Segundo a OMS aproximadamente 40% das pessoas apresentam a forma leve ou moderada da doença, 15% necessitam de oxigenoterapia e 5% podem apresentar a forma grave necessitando de cuidados de terapia intensiva com complicação respiratórias e sistêmicas.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) até o momento não há alternativa terapêutica aprovada e disponível para tratar a doença, contudo em 17 de janeiro de 2021 esta agência aprovou o uso emergencial da vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac e da vacina produzida pela Fiocruz em parceria com o laboratório AztraZeneca e a Universidade de Oxford.

A partir deste momento o enfrentamento da emergência em saúde pública se dará, sobretudo, pela vacinação em massa em todo território nacional, conforme estratificação de grupos de risco definidos de acordo com critérios epidemiológicos.

Neste contexto, a vacinação da população se faz ainda mais necessária, pois, além de estimular o sistema imunológico, confere maior proteção aos grupos suscetíveis, sendo considerada pela OMS o método mais eficaz para o enfrentamento à pandemia da Covid-19, com capacidade para reduzir a morbimortalidade relacionadas a esta.

  • OBJETIVO

Estabelecer as ações e estratégias para a operacionalização da vacinação contra a COVID-19 nos grupos prioritários do município de Serrano do Maranhao.

  • Objetivos Específicos
  • Identificar o público alvo e grupos prioritários para vacinação contra Covid-19;
  • Vacinar os grupos prioritários de acordo com as etapas estabelecidas para campanha de vacinação;
  • Coordenar ações para notificação e investigação de eventos adversos associados à vacinação;
  • Promover ações de educação e comunicação em saúde sobre as vacinas disponibilizadas;
  • Ampliar o número de pessoas cadastradas ConecteSUS
  • SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA
  • Covid-19 no Maranhão

De acordo com os dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão, até o dia 15 de janeiro de 2021 foram diagnosticados 203.156 casos de COVID-19, 4.594 óbitos e 192.400 recuperados. A faixa etária mais acometida foi a de 30 a 39 anos e 56% dos casos pertencem ao sexo feminino.

No que se refere ao perfil epidemiológico dos 4.594 óbitos do estado do Maranhão, 2894 ocorreram em pessoas pretas ou pardas, a maioria ocorreu em pessoas do sexo masculino (61%), a faixa etária prevalente foi de pessoas com 70 anos ou mais (56,4%). Deste total de óbitos, 84% apresentavam comorbidades, sendo a hipertensão arterial a mais frequente. A taxa de letalidade é de 2,24%.

  • Covid-19 em Serrano do Maranhão

Os últimos dados atualizados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde de Serrano em 01 de outubro de 2020, 290 casos foram registrados no município, 4 óbitos e 273 recuperados. Destes casos a maioria ocorreram em mulheres (61,38%), sendo a faixa etária mais prevalente entre 40 a 49 anos. A taxa de letalidade neste período foi de 1,48%.

  • OPERACIONALIZAÇÃO DA VACINAÇÃO
  • CAPACITAÇÃO

O processo de operacionalização da vacinação para Covid-19 foi iniciado com a capacitação na Unidade Regional de Pinheiro com a realização de atividades sobre os imunizantes e o processo de imunização, a apresentação do plano estadual do plano de imunização, as orientações para contrução dos planos municipais de operacionalização da vacinação para Covid-19. Neste evento houve participação da coordenação de imunização municipal e de profissional da digitação.

Em âmbito municipal foi realizada treinamento com os profissionais de enfermagem das Estratégias de Saúde da Família (cinco enfermeiros e seis técnicos de enfermagem) com objetivo de garantir segurança no processo de vacinação. Foi apresentado o plano estadual de imunização para Covid-19, além da discussão sobre os imunizantes e as definições de estratégias para implementação das ações propostas no planejamento.

  • MICROPLANEJAMENTO

Inicialmente foi realizado agrupamento geográfico das localidades por acesso, proximidade, quantitativo populacional e disponibilidade de espaço físico adequado para realização da vacinação. Esse processo será reavaliado conforme necessidade, sendo realizadas as devidas adequações que facilitem a concretização das ações.

Quadro 1 – Pontos Estratégicos em Serrano do Maranhão

LOCALIDADEPONTO ESTRATÉGICO
SedeUEB Castro Alves
PortinhoQuadra Poliesportiva
SoledadeCentro de Ensino Coronel D. Carvalho
ArapirangaCentro de Ensino Fundamental São José

A organização dos espações físicos se dará pela parceria dos profissionais da saúde e da Secretaria Municipal de Educação. Haverá equipe para organização do fluxo de pessoas, assim como sinalização para evitar aglomeração, exigir o uso de máscara, respeitar o distanciamento social e disponibilização de álcool em gel para higiene das mãos. Além disso, uma equipe de saúde permanecerá nos locais de vacinação para triagem dos grupos prioritários, avaliação de temperatura e aferição de pressão arterial.

A divulgação da campanha de vacinação será realizada através de carro de som e a mobilização dos grupos prioritários pelos agentes comunitários de saúde que realizarão visitas domiciliares seguindos protocolos sanitários, especialmente nas localidades de difícil acesso ou onde há precariedade no acesso aos veículos de comunicação com acesso a rede de dados móveis.

A Implementação da campanha ocorrerá por fases, iniciando com a vacinação nos pontos estratégicos segundo o quadro a seguir:

Quadro 2 – População prioritária para vacinação contra a covid-19, estimativa de número de doses necessárias em cada fase

FASESPOPULAÇÃO-ALVOESTIMATIVA DE POPULAÇÃO*NÚMERO ESTIMADO DE DOSES DE VACINA PARA O ESQUEMA COMPLETO*
Trabalhadores da saúde; pessoas de 75 anos ou mais; pessoas de 60 anos ou mais institucionalizadas; população indígena aldeada em terras demarcadas, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas e quilombolas.2.3594.718
Pessoas de 60 a 74 anos5081.016
Morbidades: Diabetes mellitus; hipertensão arterial grave; doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doença cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; câncer; obesidade grave (IMC maior ou igual a 40)Em processo de avaliaçãoEm processo de avaliação
Total de doses fases 1, 2 e 32.8675.734

A SEMUS propõe para esta campanha, estratégias e táticas para a vacinação, de acordo com as fases, os grupos prioritários e o cronograma estipulado pelo Ministério da Saúde. Logo, na intenção de evitar aglomeração e manter a organização dos pontos de vacinação, as estratégias adotadas serão:

  • Ampliação do número de Núcleos Municipais de Vacinação contra COVID-19, em locais estratégicos para atender as exigências sanitárias e promover comodidade a população;
  • Vacinação domiciliar para pacientes acamados ou com dificuldade de locomoção que se enquadrem nos grupos prioritários;
  • Organização da população-alvo conforme o mês de nascimento.

Quadro 3: Calendário de imunização de acordo com o mês de nascimento.

DIA DA SEMANANASCIDOS EM
SegundaJaneiro, Fevereiro, Março
TercaAbril, Maio, Junho
QuartaJulho, Agosto, Setembro
QuintaOutubro, Novembro, Dezembro
SextaAcamados e domiciliado

            A ampliação da disponibilidade desses pontos favorece a descentralização e facilita o acesso da população à vacinação. A campanha seguirá o calendário a seguir:

Quadro 3 – Calendário da Primeira Fase

Público alvoEstratégiaLocalPrevisão de início
Profissionais da saúde  Profissionais da saúde portando carteira de classe devem dirigir-se ao local de referênciaUEB Castro Alves20 de janeiro de 2021

Obs¹: O calendário será reavaliado semanalmente para adequação as necessidades do município.

 Quadro 4 – Calendário da Segunda e Terceira Fase

Público alvoEstratégiaLocalPrevisão de início
Idosos de 75 anos ou maisIdosos de 75 anos ou mais portando documento de identificação oficial com foto devem dirigir-se ao local de referência.UEB Castro AlvesA definir
Idosos de 75 anos ou mais acamados ou domiciliadosIdosos de 75 anos ou mais receberão visita domiciliar por equipe volante.DomicílioA definir
Idosos de 75 anos ou mais, quilombolas e profissionais da saúdeIdosos de 75 anos ou mais portando documento de identificação oficial com foto, Profissionais da saúde portando carteira de classe e Povos tradicionais quilombolas portanto documento oficial com foto e comprovante de residência devem dirigir-se ao local de referência.UEB Castro Alves; Quadra Poliesportiva de Portinho; UEB de Soledade; UEB de ArapirangaA definir
Pessoas de 60 a 74 anosPessoas de 60 a 74 anos portando documento de identificação oficial com foto devem dirigir-se ao local de referência.UEB Castro Alves; Quadra Poliesportiva de Portinho; UEB de Soledade; UEB de ArapirangaA definir
Morbidades: Diabetes mellitus; hipertensão arterial grave; doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doença cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; câncer; obesidade grave (IMC maior ou igual a 40)Pessoas com morbidades portando documento de identificação oficial com foto e comprovação de comorbidade devem dirigir-se ao local de referência.UEB Castro Alves; Quadra Poliesportiva de Portinho; UEB de Soledade; UEB de Arapiranga.A definir


4.3              Logística de distribuição e armazenamento

Gráfico 1– Fluxo de distribuição dos imunobiológicos

Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos – CEADI/CE TRANSPORTE TERRESTRE VTCLOG ENTREGA NA CEADI/MA*  
Central Nacional de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos – CENADI TRANSPORTE AÉREO*
Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos – CEADI/MA TRANSPORTE AÉREO  
Central Regional de Rede de Frio Transporte terrestre (Vans)
Central Municipal
de Rede de Frio
Central Local de Rede de Frio – Sala de Vacina Transporte terrestre – Veículos municipais
 
Pontos estratégicos locais Central Local de Rede de Frio Transporte terrestre dos imunobiológicos em caixas térmicas de poliuretano Veículos municipais
Pontos estratégicos locais: UEB Castro Alves Quadra Poliesportiva Centro de Ensino Coronel Carvalho Centro de Ensino São José
  • SOBRE A VACINA:

Vacina adsorvida covid-19 (inativada) do Instituto Butantan.

5.1 APRESENTAÇÃO :

Suspensão injetável. – Cartucho com 40 frascos-ampola com uma dose de 0,5 mL contendo 600 SU do antígeno do vírus inativado SARS-CoV-2 cada.

  • POSOLOGIA E MODO DE USAR:

Posologia: Cada dose de 0,5 mL da vacina adsorvida covid-19 (inativada) contém 600 SU de antígeno do vírus inativado SARS-CoV-2. Modo de usar: O esquema de imunização é de 2 doses de 0,5 mL com intervalo de 2-4 semanas entre as doses. Recomenda-se a administração da vacina na região deltoide da parte superior do braço por via intramuscular. Agite o frasco-ampola antes do uso. Ainda não foi determinado se doses de reforço do produto serão necessárias. Uso pediátrico: Não há estudos conduzidos com a vacina adsorvida covid-19 (inativada) na população pediátrica. Uso em idosos: Nenhum ajuste de dose é necessário na população idosa.

  • RAZÃO DE ADIAMENTO
  • Doenças agudas febris.
  • Adiamento com infecção por COVID (4 semanas após início dos sintomas ou 4 semanas a partir da 1 amostra de PCR positivo nos assintomáticos.
  • Sintomatologia prolongada não contra indica.
  • CONTRA INDICAÇOES
  • Menores de 18 anos
  • Gestantes
  • Reação alérgica grave a qualquer alimento (manifestação em até 4 horas após ingestão)
  • Reação anafilática a primeira dose
  • Reação anafilática a componentes da vacina, tais como: Neomicina, Timerozol, Hidróxido de Alumínio, entre outros.
  • FARMACOVIGILÂNCIA

É importante ter um sistema de farmacovigilância fortalecido e atento para os prováveis eventos adversos. Portanto, precisamos: detectar, notificar, investigar e classificar todos os eventos adversos. É fundamental informar: tipo de vacina; lote; fabricante.

  • EVENTOS ADVERSOS PÓS-VACINAÇÃO COVID 19

Com a inclusão de novas vacinas que serão administradas em todo país, pode ocorrer um aumento de evento adversos pós vacinação (EAVP). Tornando necessário que o sistema de investigação epidemiológica esteja preparado para manejo, identificação, notificação e investigação de EAVP.

O município contará com equipe multiprofissional composta por médico, enfermeiro e técnico de enfermagem que ficará em regime de plantão na Unidade Hospitalar Municipal para acolhimento e tratamento dos Eventos Adversos Pós-Vacinação.

EVENTOS ADVERSOS:

  • É qualquer ocorrência clínica indesejável em um indivíduo que tenha recebido algum imunobiológico. Quanto a intensidade se classifica: leves, moderados, graves: hospitalização, sequela, risco de morte e óbito. 
  • VACINA COVID 19
  • Detecção, Notificação e Busca ativa
  • Investigação (exames clínicos, laboratoriais)
  • Classificação final dos EAPV
  • Todos os eventos: não graves e graves devem ser notificados
  • Erros de Imunização (programáticos)
  • Problemas na Cadeia de Frio
  • Erros de Preparação da dose
  • Erros na Via de Administração

OBS: As notificações deverão primar pela qualidade no preenchimento de todas as variáveis contidas nas fichas de notificação / investigação de EAVP do PNI.

  • TIPO de VACINA, NÚMERO de LOTE e FABRICANTE.

Notificação em 24 horas nos casos de:

EVENTOS ADVERSOS GRAVES, RAROS e INUSITADOS, ÓBITOS SÚBITOS e INESPERADOS, ERROS de IMUNIZACÃO. (Portaria n 264 de 17 de fevereiro de 2020).

É importante destacar que as notificações deverão primar pela qualidade no preenchimento de todas as variáveis contidas na ficha de notificação/investigação de EAPV do PNI. Destaca-se ainda que, na possibilidade de oferta de diferentes vacinas, desenvolvidas por diferentes plataformas, e imprescindível o cuidado na identificação do tipo de vacina suspeita de provocar o EAPV, como número de lote e fabricante.

  • IMPORTÂNCIA DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO PLANO DE IMUNIZAÇÃO

Considerando que a Atenção Primária em Saúde é ordenadora do cuidado e tem papel central no Sistema Único de Saúde, se destacando no Programa Nacional de Imunização, sua atuação na implementação das ações de planejamento, divulgação e execução do Plano Nacional de Imunização contra COVID-19 será fundamental para operacionalizar a vacinação em todos os lugares do país.

A Estratégia de Saúde da Família (ESF) desenvolverá atividades de planejamento, organização das salas de vacinas, dos pontos estratégicos de imunização, na mobilização da comunidade, na educação em saúde esclarecendo sobre os grupos prioritários, as etapas de imunização e possíveis eventos adversos, bem como monitoramento destes, cadastramento de pessoas no ConecteSus, entre outras atividades.  

RAMIRO JOSE SAIF CAMPOS

SECRETARIO DE SAÚDE

LAIANNA FERREIRA CAPIM

COORDENADORA DA ATENÇAO BÁSICA

MARIA NEUSA SILVA PINTO

COORDENADORA DE IMUNIZAÇÃO